SISTEMA DE ALVENARIA ESTRUTURAL

Economize até 20% do custo total da obra.

Argamassa de assentamento e graute

 

A argamassa de assentamento desempenha diversas funções na alvenaria estrutural, dentre as quais se destacam: solidarização dos blocos; absorção dos esforços originados pela movimentação da estrutura; distribuição uniforme dos esforços nas paredes, impedindo a transmissão de cargas concentradas originadas pelas variações dimensionais dos blocos; acomodação das armaduras horizontais.

 

O graute é um microconcreto que serve para preencher as cavidades dos blocos onde são acomodadas as armaduras verticais e as amarrações das paredes através de grampos. Serve também para suprir as deficiências locais da argamassa de assentamento ou dos blocos.

Assentamento

 

Ferramentas utilizadas: bisnaga, colher meia cana ou tradicional colher de pedreiro. Nos extremos das paredes, podem ser assentadas várias fiadas para facilitar a colocação das linhas. Os blocos dos cantos deverão ser assentados com o auxílio de um escantilhão e de uma régua técnica de prumo e nível.

 

Tratando-se de alvenaria aparente, recomenda-se que o frisamento seja executado antes do endurecimento total da argamassa de assentamento. A limpeza pode ser efetuada após o frisamento, utilizando-se pano grosso ou esponja seca, evitando-se com isso produzir manchas sobre os blocos. Permanecendo restos de argamassa endurecida que venha formar crostas sobre a alvenaria, recomenda-se a utilização de escova de aço com cerdas finas.

Revestimentos podem ser aplicados com espessura mínima

 

Nas paredes externas, pode-se aplicar massa tradicional ou optar pela aplicação de texturas diretamente nos blocos, essas já vêm coloridas e impermeabilizadas. Nas paredes internas, pode-se aplicar gesso diretamente sobre os blocos para se obter um acabamento liso, ideal para a pintura.

Armaduras e graute

 

Quando o projeto estrutural prevê a utilização de enrijecedores verticais (pontos de graute), a colocação das  armaduras deve ser precedida da limpeza das rebarbas de argamassa dos furos e aberturas das espias na base das paredes, para controle da chegada do graute até o fundo do furo.

 

O lançamento do graute, efetuado após a limpeza do furo, deve ser feito no mínimo após 24 horas do assentamento dos blocos. A altura máxima de lançamento é de 3m. Recomenda-se, no entanto, lançamento de alturas não superiores a 1,40m com graute auto-adensável.

Tubulações embutidas

 

Recomenda-se não utilizar cortes horizontais e transversais. Para as instalações elétricas e de telefonia, deve-se utilizar os furos dos próprios blocos.

Vergas, contravergas e cintas

 

Vergas e contra vergas: canaleta “U“ Cintas de amarração (apoio de lajes): canaletas “J“ e “u“

Amarração das paredes

 

Pode ser de três tipos: direta, com ferros em formato de “L“ e com ferros em gancho.

Amarração direta: executada através do entrelaçamento dos blocos, esse tipo de amarração só é possível em blocos cuja a largura tenha valor da metade do comprimento utilizado na modulação. A amarração com ferros em “L“ ou ganchos é usada quando o bloco a ser utilizado não permite amarração direta. Os ferros utilizados são do tipo CA-50 e bitola de 5mm, essas amarrações deverão ser feitas alternadamente a cada duas fiadas, entre as juntas.

 

Obs.: Nas alvenarias com ferragem vertical, esse tipo de amarração proporciona economia de graute, ferragem vertical e grampos.

 

 

Indústria - Santa Rita

Rua Juarez Távora, 729 - Centro
CEP: 58.300-410, Santa Rita - Paraíba
Fone: (83) 3229-1017 - (83) 9996-5454